A música como ponte para a espiritualidade


A música como escapatória dos tempos difíceis e como ponte para a espiritualidade. É assim que o músico João Gil define o álbum “Missa Brevis”, lançado esta quinta-feira, na abertura do Ano da Fé. “A música é celeste, de natureza divina e de tal beleza que encanta a alma e a eleva acima da sua condição”, a frase do filósofo grego Aristóteles foi proferida há mais de dois mil anos mas não tem prazo de validade.
O músico João Gil, que fez parte de grupos que marcaram a história da música moderna portuguesa, como os Trovante ou a Ala dos Namorados, afina pelo mesmo diapasão.

“Com o novo tempo que aí vem, difícil, que esta missa signifique alguma leveza, alguma espiritualidade  e, dessa maneira, resistir mais, porque temos qualquer coisa mais do que sobreviver, há mais qualquer coisa na nossa vida do que as dificuldades e a linguagem e o planeta do dinheiro obriga-nos a isso. Se calhar está na altura de começarmos a criar novos mecanismos e novas leituras da vida. Afinal de contas, o que é que estamos aqui a fazer, quem somos, quem habita em nós, quem deixamos neste mundo para o futuro”, sublinhou João Gil.

O cónego João Aguiar, presidente do conselho de gerência do Grupo r/com - renascença comunicação multimédia, diz que começou por encarar este projecto de forma cautelosa, mas com abertura. Depois de “ouvir para crer”, ficou rendido. “Com prudência eclesiástica quis, não ver para crer, mas ouvir para crer, e o João [Gil], amavelmente, começou a remeter-nos pequenos trechos saídos da sua viola e, logo nesses primeiros trechos, espantosamente, dei comigo a rezar”, recorda o cónego João Aguiar.

Além de João Gil e Luís Represas, participaram em “Missa Brevis” o pianista Manuel Paulo, a voz de Manuel Rebelo e a violoncelista Diana Vinagre. O álbum é editado pela Genius y Meios, uma empresa do Grupo r/com – renascença comunicação multimédia.

Liturgia: Simbolismo do Óleo

De entre muitos símbolos que encontramos da Liturgia, destaco, hoje, o óleo. Ano da Fé é também ano para repassarmos a nossa história e olharmos para a forma como o Senhor já nos chamou. Percebendo o uso do Óleo na Liturgia, podemos também perceber melhor a nossa vocação batismal confirmada no dia do Crisma.

Fica aqui.

Igreja: representação da obra da redenção

A Igreja, tal como afirma Otto Semmelroth, é representação da obra da redenção. Trata-se de um tema complexo mas, ao mesmo tempo, bonito. Deixo-vos aqui esta partilha, fruto de uma reflexão da obra "La Iglesia como sacramento original" do referido autor. É um trabalho muito teológico mas vale a pena ler.

A Salvação em Jesus Cristo

No ano passado (2011/2012), realizei um estudo sobre a temática da salvação fora da Igreja, no âmbito de um Seminário sobre Temáticas em Teologia da Missão. Este ano (2012/2013), a minha Diocese começou um grande programa pastoral inspirado do tema "Ide por todo o mundo". Deixo-vos este trabalho para que possamos compreender a urgência do impulso missionário.

Fica aqui.

A escolha de cânticos para a Eucaristia

Ao iniciar o Ano da Fé, o JOGO SOCIAL disponibiliza um documento para ajudar os responsáveis da Liturgia a escolher os cânticos para a celebração da Eucaristia.

Fica aqui.